domingo, junho 10, 2007

A Perda Que não Quero Ter.

Quantas perdas hei de ver,
até aprender a perder?
Cada dor nova traz em si
aquela que um dia vivi.

E o peito é esmagado
por pedras, rochas, montanhas,
de acordo com o tamanho
da dor que não quero sentir.

E o medo é tanto,
que troco o verbo
e não arrisco o ter, pois
é menor a dor de quem vê.

2 comentários:

Flávio Fernandes disse...

Amei !

Evelyne Furtado disse...

A gente vai perdendo e ganhando não é, Flavio?
Perdemos os saraus no Farol Filosófico, mas as amizades permaneceram. Adoro você, Laurita, Tekka, Darct, Marcelo.
Beijão, amigo!