sexta-feira, agosto 15, 2008

SILENTE.


Nascida da aflição

A pergunta é instantânea.

A resposta, porém,

Não vem ao tempo desejado

Esconde-se entre as brumas

Cala-se frente ao orgulho

Perde-se na indiferença

Foge ante o desconhecido

Silencia, tarda e maltrata.

Enquanto a vida corre sem direção.

2 comentários:

AnadoCastelo disse...

Às vezes o silêncio é preciso.
Bjs

Evelyne Furtado disse...

Verdade.Sabedoria é isso: saber "ouvir" no silêncio. Obrigada, amiga!
Bjs