quinta-feira, abril 03, 2008

A Chuva e o meu Querer II

Sinto-me estranhamente calma.
Bastou-me a chuva ouvir
E o vento as minhas costas abraçar.

Sensatez?
Paz almejada?
Maturidade?

Não sei que nome dar
A esse instante de alento
Mas sei que é um novo momento


Apesar do meu querer a ti
Apesar do teu querer a mim.
Apesar dos intensos quereres
Hoje estou tranquila, sim.

Evelyne Furtado

2 comentários:

AnadoCastelo disse...

Hum!!! Que bom. É pena essa paz e tranquilidade não estejam em todo o lado.
Beijinhos

Evelyne Furtado disse...

Oi, Ana!
é bom curtir a paz quando ela vem.
Obrigada, amiga!
Bjs