quinta-feira, janeiro 31, 2008

CONFLITOS NA TARDE.


Sobram-me emoções e vontades
Faltam-me paciência e calma
Piso no freio em meio a pista
Travo o corpo com o impacto
Mordo a língua.
Não falo.
Lembro e como doces desejos.
Vivo a memória recente.
Penso em ser prudente:
Mulher plena, calma, serena.

2 comentários:

JuliaML disse...

este poema está muito bom!:-)

Evelyne Furtado disse...

Oi,Juliami. Obrigada.