quinta-feira, agosto 11, 2005

Modéstia

Ando enganando o mundo,
fingindo uma falsa modéstia.
No fundo ,
gostaria de ser poeta.
Queria eu ser esteta.

Qual nada,
não margearei tal meta.

E sendo simples na vida,
vivo alegrias vãs.
Ainda sim, quero-as infindas:
tolas, toscas,belas, sãs.

Um comentário:

Chris M. Herrmann disse...

Ahhh, essa poeta que se diz não-modesta, mas é modesta até demais. Vequinha, seus poemas são lindíssimos, construídos com leveza e de uma força incrível, que vc nem tem idéia. A borboletinha lê e sorri colorida e "abestada"... rss
Beijos e parabéns, seu blog é lindo e seus poemas muito, muito mais lindos ainda!!!
Chris-Borboleta
))§((