domingo, agosto 31, 2008

A Mulher Distraída.




Guiava a mulher distraída em busca de alegria
Olhando o céu de chumbo
Sentiu que aquele caminho boa coisa não lhe traria

Onde o sol que antes a aquecia?
E a paisagem impressionista,
Onde repousara os olhos a mulher distraída?

Rendida à inglória luta
Deixou escoer todo o mar
Até sua alma se por enxuta.

Vai e logo volta mulher da lua
Que a chuva não tarda
A encharcar tua alma agora nua.

2 comentários:

Celamar Maione disse...

"Que a chuva não tarda
A encharcar tua alma agora nua."
Beleza, Evelyne, beleza ! De vez em quando é bom esse banho de chuva. Ele sai lavando tudo. Uma delícia ! Beijão

Evelyne Furtado disse...

Bom é receber sua visista, Celamar!
Àgua purifica, mesmo!
Beijos e obrigada.