sábado, agosto 09, 2008

Duo com o Vento.


Pisei ns flores que brotaram do teu canto
Não vi as cores do mundo
Escondi-me em mim
A dor é egoísta, sim.
Nada me importava além do que sentia
Só o lamento do vento
Entrando pela fresta da janela
E me arrepiando os pelos
Dias sombrios vivi.
Hoje não sinto o seu perfume
Que a distância não me permite sentir
Mas vejo do céu, o azul
Recebo o calor do sol
E o vento é bem-vindo
Faço um duo com ele
Para você me ouvir.

6 comentários:

stock market investor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
pcso lotto results disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
AnadoCastelo disse...

Como sempre uns lindos versos.
Beijinhos querida

Evelyne Furtado disse...

Obrigada, Aninha!
Bjos, muitos.

Celamar Maione disse...

Evelyne, nada como o calor do sol. O sol é energia. Aquece. Faz bem. E a sua poesia também. Bjs

Evelyne Furtado disse...

Ficamos uns dias sem sol por aqui. Temporal mesmo. Enfim voltou.
Ah, adorei a passada que dei no seu blog hoje. É muito bom, menina!
Beijos e obrigada, amiga!