domingo, junho 01, 2008

Eu me chamo saudade.



Nessa madrugada eu me chamo saudade
Apesar das confusas emoções
Vindas dos sinais de fumaça que envias
De onde, para quem e por que
Sinceramente, não sei.
Sei exatamente quem me acompanha
Como sempre soube quem queria
Nessa madrugada eu "saudade"
Sigo com sua ausência
E com suas confusas alegorias.



Evelyne Furtado
Publicado no Recanto das Letras em 25/05/2008
Código do texto: T1004057

4 comentários:

Leonor Cordeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonor Cordeiro disse...

"...Saudade é amar um passado que ainda não passou" (Acho que é de Neruda)

Querida Evelyne,

Mesmo quando você está envolvida pela saudade, acolhe com delicadeza uma amiga que chega...
Você é especial.
Viva Evelyne!!!

Evelyne Furtado disse...

Leonorzinha, como não receber você da melhor maneira que eu sei. Você merece toda ternura e admiração, amiga!
Beijos muitos

AnadoCastelo disse...

Oi querida,
Espero que esteja tudo bem por aí. Eu ainda não tenho computador, vim aqui ao da filhota para poder escrever.
Quando tiver um bocadinho veja o meu último post, que por acaso até é dedicado ao nosso Capitão-Mor. É música tradicional portuguesa com uma mistura de popular. Não é aquela música folclórica que todo o mundo conhece, esta sim é mesmo tirada da música tradiconal. Espero que goste. Estas meninas estão a dar os primeiros passos, mas já têm um cd muito bonito.
Assim que tiver o meu "pretinho" já leio tudo com atenção.
Beijinhos e boa semana