quarta-feira, maio 21, 2008

Desejos!



Eu quero entender todos os desejos de todas as pessoas que amo e que venha a amar. A expansão da minha alma no sentido de compreender o universo humano em suas múltiplas variedades, é uma meta que persigo.

Entender determinadas atitudes me fará desculpá-las. Sempre fui assim, porém andei levando umas pancadas da vida e me recolhi.

No meu recolhimento estive envolta na fumaça do inconformismo e da dor. Perdi momentos preciosos de autoconhecimento e agora volto a me olhar para poder ver melhor o meu interlocutor, meu amigo ou meu amor.

Eu comecei falando em desejos, pois acredito que eles nos guiam e justificam nossas escolhas. Nunca seria budista: a ausência de desejos me anularia. Desejo muito e meus desejos constituem a minha energia. Talvez por isso tenha me perdido em algumas esquinas da vida. Eu desejei ser amada para sempre e insisti em um desejo que não dependeria de mim.

Acerto o passo com a vida desejando um amor mais tranqüilo. Abro meus olhos e vejo um novo horizonte, vedado a mim por minhas próprias desilusões.
Repito que quero conhecer todos os desejos de todos que amo para melhor compreendê-los e amá-los. Comecei por mim.

Evelyne Furtado
Publicado no Recanto das Letras em 20/05/2008
Código do texto: T998262

2 comentários:

AnadoCastelo disse...

Lindo o seu texto. Mas ai daquele que não tiver desejos, não vive, sobrevive.
Beijinhos

Evelyne Furtado disse...

Pois é, Aninha!
Um beijo e muito obrigada, querida.