sábado, março 22, 2008

João e Maria II _ A Noite Que Não Tem Mais Fim



Não. Não foi esse o combinado. Não foi esse pacto que assinei. Eu tinha o domínio e uso. Só me faltava a posse definitiva. Você doou seu coração. Eu doei o meu a você. Éramos só expectativa de felicidade. De repente o faz de conta terminou. Não brincamos mais de João e Maria. Você parece não "se" reconhecer, esquecendo o que me prometeu viver. De minha parte é pior ainda. Não te reconheço mesmo. Onde está o homem apaixonado, que me jurou o amor sem fim?

Já sei. Pôs o amor para dormir, por isso me trata assim, como alguém de outro conto. Chegou a me pedir que eu adormecesse o amor que sinto. Nesse mundo de faz de conta que você vive, o amor não morre, apenas adormece. Aqui, onde vivo, há diferença entre morrer e dormir.

E aí, o amor acorda? E se acorda faz o que? No nosso pacto não combinamos isso. Ninguém pensou em Romeu e Julieta, nem mesmo na maçã de Branca de Neve. Será que tem a ver com a Bela Adormecida?
Talvez, eu uma tecelã sem cuidado furei o "seu" dedo na roca. E o seu amor dormiu.

Não sei o que fazer. Não fui co-autora dessa estória. Meu roteiro era aquele que você escreveu e me mostrou.Agora, você virou a Bela Adormecida e eu sou o Príncipe? Não combina. Não sei cavalgar. Morro de medo de dragões e meus hormônios são femininos. Você também não ficaria legal de Bela Adormecida. Você nem dorme muito. Eu sim.

Mas o seu amor dorme e o meu ainda está insone. Que loucura esse conto!. Misturamos tudo. Eu fui protagonista e agora não reconheço o meu papel. Você era o príncipe, lembra? Porém, tem mais um detalhe estranho: o Príncipe era um cara legal. Eu o admirava, além de amá-lo. Não parece com esse que agora a mim se dirige dizendo que já viveu a felicidade que queria, que vive por viver (?). Acomodou-se, aposentou o coração.Sinto dizer, meu caro, mas ele é meu. Você me doou e estou vivendo muito mal sem ele, pois parte do meu está aí dormindo com você.

Trocávamos beijos e declarações de amor.Hoje trocamos farpas. Diálogos tensos, irritados, raivosos. Na verdade, eu odeio esse cara que mora aí no seu corpo. Amei o outro que tinha o amor acordado e bem vivo quando perto de mim.

Nos perdemos no caminho. Os passarinhos comeram o pão. E a minha noite não tem mais fim. Sou Maria, mas você não é João, nem qualquer outro nome pelo qual eu o chamava.

Você que já foi me príncipe, meu rei e meu herói " fugiu no mundo sem me avisar e agora eu sou a louca a perguntar o que é que a vida vai fazer de mim?”.

Evelyne Furtado
Publicado no Recanto das Letras em 22/03/2008
Código do texto: T912187

2 comentários:

Leonor Cordeiro disse...

Querida amiga,
Quero comentar mas não consigo, ainda estou misturada com as suas palavras ...
Mas beijo e abraço eu posso dar pois meu amor por você está bem acordado.
Com carinho,
Leonor Cordeiro

Evelyne Furtado disse...

Oi, Leonor!
Confindi você?
Também ando assim...
Mas te adoro e deixo um beijo doce.
Obrigada, obrigada , obrigada.

Tenha um alinda semana!